Tamanho do texto

Bancos comerciais ainda não entraram no mercado de crédito de longo prazo

A meta do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) era emprestar menos em 2010, após um desembolso recorde de R$ 137,3 bilhões no ano passado. Mas o presidente da instituição, Luciano Coutinho, já trabalha com a possibilidade de superar este valor, conforme afirmou nesta quinta-feira. O BNDES desembolsou R$ 134,9 bilhões nos últimos doze meses encerrados em julho.

Para desembolsar menos neste ano, o banco de fomento esperava maior presença dos bancos comerciais no mercado de crédito de longo prazo a partir de ferramentas e mecanismos em preparação pelo próprio BNDES - em parceria com as instituições financeiras privadas.

"Eu tinha esperança de que tivéssemos as medidas de apoio ao mercado, de que essas medidas tivessem saído mais cedo, mas a capitalização da Petrobras nos consumiu. Tivemos de trabalhar isso (capitalização) por dois meses", disse, após palestrar no Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças (IBEF).

"O importante é que estamos preparando essas medidas para o futuro e elas serão fundamentais para atender ao crédito das empresas", acrescentou. Deste o começo do ano, Coutinho tem conversado com grandes bancos comerciais para que estes emprestem mais às empresas e aliviem o banco de fomento.

De janeiro a julho, o BNDES desembolsou R$ 72,6 bilhões. Em 2009, no mesmo período, o valor chegou a R$ 75,1 bilhões.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.