Tamanho do texto

O presidente da Toyota tentou recuperar nesta sexta-feira o ânimo de milhares de funcionários da montadora de automóveis, afetada por uma crise sem precedentes.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237561529404&_c_=MiGComponente_C

Após os problemas provocados pelo recall de quase nove milhões de veículos no mundo, Akio Toyoda reconheceu que a maior montadora de automóveis do mundo cresceu rápido demais nos últimos anos, a ponto de algumas vezes negligenciar a qualidade.

"Certamente não tínhamos a intenção de fazer isso. Aceitem as minhas desculpas", declarou a 2.000 funcionários, donos de concessionárias e empregados terceirizados reunidos na sede do grupo em Toyota City.

O ato foi transmitido ao vivo para todas as fábricas da Toyota no Japão.

A montadora prometeu que a segurança será sua prioridade número um, após uma série de defeitos nos aceleradores e nos freios de diversos modelos.

As vendas da Toyota caíram 8,7% em um ano no mês de fevereiro apenas nos Estados Unidos, onde os defeitos nos aceleradores teriam causado 52 mortes.

No entanto, a queda foi menor do que o previsto e as intenções de compra cresceram no início de março, graças ao lançamento de promoções.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.