Buenos Aires, 16 set (EFE).- A presidente argentina, Cristina Fernández de Kirchner, considerou hoje que o Primeiro Mundo que foi pintado como meta, cai hoje como uma bolha, em meio à crise dos bancos americanos.

"Estamos em um momento de profunda instrospecção com nós mesmos, vendo como esse Primeiro Mundo que tinham pintado em algum momento como meta à qual devíamos chegar, cai como uma bolha", assinala a governante, em um ato na cidade de La Plata.

Cristina fez estas declarações depois da quebra do Lehman Brothers, que já foi o quarto maior banco de investimento nos Estados Unidos, que gerou nesta segunda-feira o pior dia da bolsa nos mercados financeiros desde os atentados de 11 de setembro de 2001.

"E aqui (estamos) modestos e humildes os argentinos com nosso projeto nacional, com nossos próprios esforços. Aqui estamos firmes e dispostos a seguir enfrentando o presente e o futuro", ressaltou a chefe de Estado.

A presidente tinha criticado na semana passada o banco americano Lehman Brothers por projetar "calamidades" para a economia argentina e não prever seu próprio desabamento.

"Deveriam se ocupar mais de olhar as contas próprias em vez de olhar as contas de outros países", disse a governante em outro ato público. EFE ms/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.