Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Pré-sal vai precisar de US$ 111,4 bi até 2020

A Petrobrás informou ontem que o desenvolvimento das reservas do pré-sal vai demandar investimentos de US$ 111,4 bilhões até 2020, quando estarão produzindo 1,8 milhão de barris por dia. Em apresentação ao mercado, a companhia frisou que as jazidas já avaliadas no pré-sal podem dobrar o volume de reservas da companhia, que passariam dos 13,9 bilhões de barris para algo entre 23,5 bilhões e 28 bilhões de barris.

Agência Estado |

O orçamento previsto pela companhia é bem inferior aos até US$ 600 bilhões projetados pelo mercado financeiro, número nunca confirmado pela estatal. Além disso, é US$ 50 bilhões menor do que a própria companhia previa até o fim do ano passado. A economia, diz o diretor de exploração e produção, Guilherme Estrella, é reflexo da redução de novos procedimentos de produção simulados no fim do ano pela área técnica.

Entre eles está a redução no número de poços de cada projeto, com o uso de tecnologias para recuperação de óleo no reservatório, como injeção de gás natural, por exemplo. A empresa começa a testar os novos procedimentos em abril, no teste de longa duração do campo de Tupi. Até 2013, outros dois campos do pré-sal começam a operar: Guará, em 2012, e Iara, no ano seguinte.

Segundo a estatal, do orçamento previsto para o pré-sal, US$ 98,8 bilhões vão para a Bacia de Santos, onde está o campo de Tupi. O restante está previsto para as reservas abaixo do sal, no Espírito Santo, que devem ser desenvolvidas mais rapidamente. Já no ano que vem, a plataforma FPSO Capixaba começa a produzir nos campos de Cachalote, Baleia Franca e Baleia Anã, todos com reservatórios no pré-sal.

Segundo a empresa, o custo de produção no pré-sal é "relativamente baixo", em comparação com outras alternativas de aumento da produção nacional, como óleos ultrapesados ou reservas do Ártico. O presidente da companhia, José Sérgio Gabrielli, não quis detalhar o custo de produção do pré-sal, mas afirmou que um petróleo a US$ 45 por barril é suficiente para financiar o plano de investimentos.

Para este ano, a companhia estipulou uma meta de produção de 2,05 milhões de barris por dia no Brasil, um crescimento de 9,3% sobre 2008. A alta será obtida com o teste de Tupi e os campos de Jabuti, Marlim Sul, Frade e Parque das Conchas.

A Petrobrás anunciou na noite de ontem a descoberta de um reservatório de gás natural nas águas rasas da Bacia de Santos. O reservatório foi encontrado acima da camada de sal no bloco BM-S-7, onde a estatal é parceira da espanhola Repsol. Porém, a Petrobrás não informou estimativa de reservas. "Esta descoberta tem grande importância devido ao potencial de produção de gás em águas rasas no sul da Bacia de Santos", disse a empresa.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG