Kiev - A primeira-ministra da Ucrânia, Yulia Timoshenko, viajou neste sábado a Moscou para tentar resolver com o premier russo, Vladimir Putin, a crise do gás, informou seu escritório de imprensa.

Na véspera, Timoshenko havia preparado a posição que adotará perante as negociações: relações transparentes e sem intermediários entre as companhias ucraniana Naftogaz e russa Gazprom, e preços e tarifas mutuamente vantajosos para o gás russo para a Ucrânia e ao trânsito do combustível à Europa.

Fora isso, segundo a premier, a Rússia deverá deixar de lado suas tentativas de privatizar de qualquer forma os gasodutos ucranianos, que seguirão em propriedade estatal, enquanto a Ucrânia se compromete a transportar rigorosamente todo o gás fornecido por seu território à Europa.

Timoshenko ressaltou que sua reunião com Putin deve servir para encontrar sem falta "um compromisso para salvar as boas relações entre Ucrânia e Rússia, assim como a reputação de ambos os países na Europa", segundo o comunicado divulgado pelo escritório de imprensa do governo.

Leia mais sobre gás

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.