Berlim, 7 set (EFE).- O primeiro-ministro polonês, Donald Tusk, propôs o replanejamento do projeto para a construção do gasoduto que unirá Rússia e Alemanha através do Mar Báltico, após a crise surgida com o conflito na Geórgia.

Não é conveniente aumentar a dependência da Rússia com projetos desse tipo, afirma Tusk, em declarações divulgadas na edição digital do jornal alemão "Neuen Osnabrücker Zeitung".

O primeiro-ministro polonês diz que qualquer político responsável na Europa deve refletir mais que quatro semanas se um projeto como o gasoduto do Báltico faz sentido, e pede da União Européia (UE) uma política energética comum perante a Rússia.

Nesse sentido, propõe que a União Européia dê um sinal claro de sua aposta pelo desenvolvimento das energias renováveis, para que "os russos não possam continuar pressionando".

"Os europeus devem se perguntar como ficar independentes, pelo menos em parte, do fornecimento de petróleo e gás russos", afirma Tusk na entrevista. EFE jcb/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.