Tamanho do texto

SÃO PAULO - O primeiro-ministro da Espanha, José Luis Rodríguez Zapatero, suspendeu suas férias e voltou ontem à noite para Madri para conhecer de perto os trabalhos de resgate e assistência aos feridos e às famílias das vítimas do acidente aéreo ocorrido na quarta-feira em Madri.

Em declarações à imprensa, Zapatero manifestou seu pesar, condolências e solidariedade para com os parentes das vítimas e anunciou que o governo trabalharia de imediato para esclarecer as causas do acidente com o avião da Spanair.

Horas antes do acidente com a aeronave do modelo MD-82, de 15 anos e adquirida há nove anos da Korean Air, o sindicato de pilotos Sepla tinha emitido um comunicado com uma ameaça de convocação de greve na empresa aérea.

O sindicato denunciava a indefinição do plano de viabilidade apresentado recentemente pela Spanair, classificado como um plano de economia imediata de custos.

Ainda não se sabe a causa do acidente que resultou na morte de 153 pessoas das 172 que estavam a bordo do vôo JK 5022 rumo a Las Palmas, nas Ilhas Canárias. Foi considerada a pior tragédia aérea da Espanha em mais de 20 anos.

(Valor Online, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.