Tamanho do texto

Londres, 22 out (EFE).- O primeiro-ministro britânico, o trabalhista Gordon Brown, admitiu hoje que a crise econômica mundial provavelmente causará recessão no Reino Unido.

Brown reconheceu essa possibilidade durante seu comparecimento semanal diante da Câmara dos Comuns, pressionado pelo líder da oposição conservadora, David Cameron.

O chefe do Governo se pronunciou sobre esse assunto depois que o presidente do Banco da Inglaterra, Mervyn King, reconheceu na terça-feira pela primeira vez que o Reino Unido "provavelmente" entrará em recessão, devido à atual crise financeira.

"Agora, parece provável que a economia do Reino Unido está entrando em uma recessão", afirmou o presidente durante um discurso pronunciado em Leeds (norte da Inglaterra).

King admitiu a probabilidade de que o país sofra uma recessão com o argumento de que a mistura de dois fatores, uma queda da disponibilidade creditícia e uma redução na renda disponível das famílias, aumenta o risco de uma baixa "pronunciada e prolongada" da demanda interna.

O Produto Interno Bruto (PIB) do Reino Unido não registrou no segundo trimestre nenhum crescimento em comparação aos três primeiros meses do ano, e na sexta-feira serão divulgados os dados provisórios correspondentes ao terceiro trimestre.

Muitos analistas da "City", o centro financeiro de Londres, previram que o crescimento do PIB será negativo pela primeira vez em 16 anos. EFE pa/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.