Tamanho do texto

SÃO PAULO - A Renar Maçãs encerrou 2009 com prejuízo líquido de R$ 15,630 milhões, quase cinco vezes maior que a perda de R$ 3,331 milhões apurada em 2008. A receita líquida caiu 15,2%, para R$ 33,378 milhões. A empresa contabilizou ainda um prejuízo antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda negativo, na sigla em inglês) de R$ 9,0 milhões, contra Ebitda positivo de R$ 8,3 milhões em 2008.

SÃO PAULO - A Renar Maçãs encerrou 2009 com prejuízo líquido de R$ 15,630 milhões, quase cinco vezes maior que a perda de R$ 3,331 milhões apurada em 2008. A receita líquida caiu 15,2%, para R$ 33,378 milhões. A empresa contabilizou ainda um prejuízo antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda negativo, na sigla em inglês) de R$ 9,0 milhões, contra Ebitda positivo de R$ 8,3 milhões em 2008. A companhia especializada na produção e comercialização de frutas registrou crescimento de 36,5% no volume de vendas, totalizando 46,5 mil toneladas. As exportações em 2009 representaram 5% do volume vendido no ano devido, principalmente ao desaquecimento da economia global e ao efeito desfavorável do câmbio. A companhia acredita que, devido à crise, que reduziu a oferta de crédito no mercado, muitos produtores optaram por vender estoques como forma de capital de giro, trazendo o preço da maçã para um dos menores patamares dos últimos anos. O preço médio por quilo vendido pela Renar caiu 42,02%, de R$ 1,19 em 2008 para R$ 0,69 em 2009. A empresa citou ainda os efeitos do clima, que resultaram em qualidade inferior da fruta da ordem de 30%. A Renar terminou 2009 com R$ 34,7 milhões de dívida bruta, sendo R$ 15,3 milhões no curto prazo. O custo médio da dívida era de 11,8% ao ano e o prazo médio dos vencimentos de 3,5 anos. (Téo Takar | Valor)
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.