SÃO PAULO - A Brasil Ecodiesel reportou hoje que teve prejuízo de R$ 88,064 milhões no quarto trimestre de 2009, superando as perdas de R$ 70,729 milhões de igual período de 2008. No acumulado de 2009, a empresa somou prejuízo de R$ 88,493 milhões, abaixo do resultado líquido negativo de R$ 197,1 milhões apurado em 2008. A cifra do ano passado foi influenciada por um impacto contábil negativo de R$ 63,778 milhões decorrente da reavaliação de ativos (conhecida como impairment) e outros ajustes. Tal reavaliação segue um programa de redirecionamento estratégico desenvolvido na empresa, que deixa de contemplar a produção de biodiesel a partir de mamona. Esse fato levou a companhia a reavaliar todos os ativos relacionados com a estratégia anterior.

Com isso, o resultado operacional medido pelo Ebit (lucro antes de juros e impostos) ficou negativo em R$ 56,801 milhões no ano passado, ante um resultado também negativo de R$ 137,622 milhões de 2008.

Em 2009, a companhia faturou 151,965 mil metros cúbicos de biodiesel, uma queda de 2% em relação ao volume de 2008 (155,048 mil metros cúbicos). Na mesma base de comparação, a receita líquida cedeu 0,5%, para R$ 349,322 milhões.

Em seu balanço, a Brasil Ecodiesel também destaca que fechou 2009 com um endividamento bruto de R$ 66,562 milhões, montante que ficou abaixo dos R$ 103,822 milhões que tem em disponibilidades e aplicações, o que lhe garante um caixa líquido de R$ 37,26 milhões.

No fim do exercício de 2008, a Brasil Ecodiesel tinha uma dívida líquida de R$ 290,408 milhões. A companhia diz que a redução do passivo é resultado da reestruturação financeira e dos aumentos de capital, concluídos em 27 de agosto.

(Eduardo Laguna | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.