Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Preços dos produtos da ceia de natal têm variação de até 58,63%, alerta Procon

SÃO PAULO ¿ Essenciais para uma ceia de natal tradicional, produtos como panettones, chocottones, caixas de bombons, frutas em calda, e carnes podem indicar uma variação de preço de até 58,63%, segundo uma pesquisa realizada pela Fundação Procon de São Paulo. A diferença de valores está relacionada à região onde o consumidor adquire o produto.

Redação |

No período de 26 a 28 de novembro, o órgão pesquisou os preços dos 259 itens mais procurados para o Natal. Dez estabelecimentos, distribuídos pelas cincos regiões de São Paulo, foram consultados. O desabastecimento em alguns comércios dificultou o levantamento. Nesta segunda-feira, o Procon divulgou o resultado de 94 itens.
 
A maior diferença de preço foi encontrada nas frutas em calda. O preço médio, segundo o levantamento, foi de R$ 3,22. Como exemplo, a ameixa em calda, lata 180g, da "QUERO" é vendida a R$ 3,95 no Dias Pastorinho, na região Sul, e a R$ 2,49 no Futurama, no Centro de São Paulo. A diferença é de 58,63%.

Entre as carnes, o Pernil Temperado Congelado da Sadia apresentou a maior variação de preço. No Carrefour, zona norte, o produto foi encontrado por R$ 10,90. Já no Sonda, na zona Oeste, o produto pode ser comprado por R$ 6,95. A média ficou em R$ 9,40.

O Panettone Gran Natale, caixa de 900g, da Bauducco teve uma variação de R$ 10,68, o que representa 48,99%. O maior preço (R$ 32,48) foi encontrado novamente no Carrefour, zona Norte. O Andorinha, localizado também da região norte, possui o menor valor (21,80). O preço médio do produto ficou em R$ 24,70.
 
Já entre as caixas de bombons, a principal diferença entre o maior e o menor preço foi encontrada no "Especialidades da Nestlé". A Diferença foi de R$ 1,73, cerca de 35,60%. O preço médio é de R$ 5,81.

Como exemplo, o Extra Hipermercado, na zona leste, tem o maior preço: a caixa é vendida por R$ 6,59. Tanto o Sonda quanto o Wal Mart, ambos na zona oeste, vendem o mesmo produto por R$ 4,86.
 
Do total dos itens divulgados, o estabelecimento Andorinha Hipermercado (região Norte) foi o que apresentou a maior quantidade de produtos com menor preço (29 itens de 71 encontrados). 
 
O Procon explica que enfrentou dificuldades para concluir o levantamento. Alguns estabelecimentos encontravam-se desabastecidos e grande parte dos supermercados está trabalhando com marcas próprias, o que acaba inviabilizando a comparação de preços, já que a qualidade do produto pode variar.
 
Após a comparação, o Procon informa que houve uma alta expressiva na lista de produtos natalinos entre 2008 e o mesmo período do ano passado. Na média, o acréscimo nas carnes foi de 11,11%.  Nos panettones/chocottones atingiu 3,42%. Nas caixas de bombons foi de 6,48%. Já nas frutas em calda, a alta foi de 1,83%. A inflação durante o mesmo período ficou na casa dos 7,26% (INPC-IBGE).

Dicas para compras
 
Como dica, o órgão de defesa do consumidor pede ao consumidor que faça uma cuidadosa pesquisa de preços, avaliando sempre a relação preço/qualidade e ficar atento com as informações contidas nos rótulos, como peso, data de fabricação, prazo de validade e condições de conservação. O Procon alerta que no caso de produtos importados, as informações do rótulo devem ser traduzidas para o português.

Apesar da diferença de preço estar diretamente relacionada à região de compra, o consumidor deve avaliar  o custo benefício do deslocamento antes de atravessar a cidade onde mora e enfrentar o trânsito na busca por uma ceia de natal mais barata.

Leia tudo sobre: inflaçãopreço de alimentos

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG