SÃO PAULO - Em mais uma jornada, os preços do petróleo apresentam queda. Os investidores estão atentos à demanda por combustíveis e ao ambiente no mercado financeiro assim como o quadro no Oriente Médio.

O presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad disse hoje não ver a possibilidade de uma guerra com os Estados Unidos ou com Israel. Os americanos, especialmente, vêem os planos nucleares de Teerã como uma fachada para a produção de armas atômicas. O Irã defende, contudo, que seus projetos têm fins pacíficos.

A paridade do dólar frente a outras moedas e o segundo dia de reunião do G-8 no Japão são também monitorados pelos agentes. Ontem, os representantes reunidos no Japão mostraram preocupação com o impacto do petróleo caro, assim como dos altos preços do alimento, na economia global.

Há pouco, em Londres, o Brent para agosto declinava US$ 4,69, a US$ 137,18. O vencimento de setembro recuava US$ 4,58, a US$ 138,08.

Em Nova York, o WTI com entrega em agosto estava a US$ 136,30, com decréscimo de US$ 5,07. O contrato de setembro perdia US$ 4,78, saindo a US$ 137,25.

(Juliana Cardoso | Valor Online, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.