SÃO PAULO - A queda mais amena do que o esperado do Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos no quarto trimestre de 2008 garantiu ligeira alta para os preços dos contratos futuros de petróleo hoje. A atividade da maior economia do mundo declinou 3,8% entre outubro e dezembro, mas, embora a baixa seja importante, ela foi menor do que projeções de mercado, que apontavam para queda de 5,5% em termos anualizados.

O contrato de WTI negociado para o mês de março em Nova York fechou com alta de US$ 0,24, para US$ 41,68. O vencimento para o mês seguinte fechou a US$ 46,13, com valorização de US$ 0,09. Em Londres, o barril de Brent para março ganhou US$ 0,48, para US$ 45,88. O contrato para abril encerrou vendido a US$ 47,70, com aumento de US$ 0,34.

Para os agentes do setor, se a atividade não está tão ruim quanto parecia aos agentes, o ajuste da demanda também pode não ser tão grande, daí a correção de preços. Mas o movimento foi discreto.

A possibilidade de greves generalizadas em refinarias americanas também deram suporte para a valorização do óleo cru. Junte-se a isso a disposição já anunciada da Organização de Países Exportadores de Petróleo (Opep) de fazer novo corte de produção se os preços continuarem em queda.

(Valor Online, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.