SÃO PAULO - Os preços internacionais do petróleo fecharam em queda nesta sessão, pressionados por dados sobre o estoque da commodity nos EUA e pela evolução do câmbio. O Departamento de Energia americano divulgou nesta manhã que houve um aumento de 2 milhões de barris nas reservas de óleo cru na semana passada, acima da previsão de alguns analistas, que esperavam elevação de 1,3 milhão de barris. A valorização do dólar frente as demais moedas também influenciou as negociações, somada à cautela do discurso do presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano). Ben Bernanke disse que os problemas no mercado imobiliário e o elevado desemprego são os maiores desafios econômicos que os EUA enfrentam e observou que, apesar de a economia americana estar se recuperando, está "longe de sair da floresta".

SÃO PAULO - Os preços internacionais do petróleo fecharam em queda nesta sessão, pressionados por dados sobre o estoque da commodity nos EUA e pela evolução do câmbio. O Departamento de Energia americano divulgou nesta manhã que houve um aumento de 2 milhões de barris nas reservas de óleo cru na semana passada, acima da previsão de alguns analistas, que esperavam elevação de 1,3 milhão de barris. A valorização do dólar frente as demais moedas também influenciou as negociações, somada à cautela do discurso do presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano). Ben Bernanke disse que os problemas no mercado imobiliário e o elevado desemprego são os maiores desafios econômicos que os EUA enfrentam e observou que, apesar de a economia americana estar se recuperando, está "longe de sair da floresta". Em Nova York, o WTI para maio caiu US$ 0,96, e encerrou a US$ 85,88. O vencimento de junho perdeu de US$ 0,88 , cotado a US$ 86,51. Em Londres, o Brent para maio ficou em US$ 85,59, recuo de US$ 0,56. O vencimento de junho fio transacionado a US$ 86,20, decréscimo de US$ 0,50 . (Vanessa Dezem | Valor com agências internacionais)
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.