SÃO PAULO - O aumento inesperado dos estoques americanos de petróleo na semana passada resultou em forte baixa dos preços da commodity no mercado futuro hoje. Também pesou sobre as operações o ceticismo dos agentes em relação às soluções e propostas que possam partir da reunião do G-20 para estancar o processo de recessão no mundo.

O contrato de WTI negociado para o mês de maio em Nova York fechou em queda de US$ 1,27, para US$ 48,39. O vencimento para o mês seguinte terminou a US$ 50,20, com baixa de US$ 1,17. Em Londres, o barril de Brent para o próximo mês caiu US$ 0,79, para US$ 48,44. O contrato para junho terminou valendo US$ 49,60, com retração de US$ 0,96.

Levantamento divulgado hoje pelo Departamento de Energia dos EUA mostrou alta de 2,8 milhões de barris na semana nos estoques americanos de óleo cru na semana até dia 27 de março. O movimento foi bem mais drástico do que o esperado pelo mercado e acentuou as preocupações com a queda de demanda por petróleo e derivados. Também subiram em 2,2 milhões de barris as reservas de gasolina e houve elevação de 300 mil barris os estoques de destilados do país no período.

Além dos dados de estoques, os agentes também tiveram o humor afetado por indicadores macroeconômicos ruins nos EUA. As demissões no setor privado do país atingiram 742 mil pessoas em março. Foi o maior corte mensal apurado em nove anos, desde que a ADP faz a pesquisa.

(Valor Online, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.