Tamanho do texto

SÃO PAULO - Os preços do petróleo cederam pelo segundo dia consecutivo, ainda sob influência das expectativas de recuo da demanda pelo produto, por conta da desaceleração das economias americana e européia. A queda das cotações também ganhou impulso com notícias de que a tempestade tropical Edouard perdeu força e não oferece mais riscos para a produção de petróleo no Golfo do México.

O contrato de WTI negociado para o mês de setembro em Nova York caiu US$ 2,24, para US$ 119,17. O vencimento para o mês seguinte encerrou a US$ 119,22, com recuo de US$ 2,47. O Barril de Brent para o próximo mês apontou baixa de US$ 2,98, para US$ 117,70. O contrato para outubro fechou valendo US$ 119,09, com desvalorização de US$ 2,94.

Os agentes levaram em conta a queda das vendas no varejo europeu, a maior em 13 anos, explicada pelo aumento dos custos com alimentos e petróleo. A inflação, portanto já estaria afetando a capacidade de consumo. Ao mesmo tempo, a Mastercard divulgou relatório mostrando que os gastos dos americanos na última semana caíram 3,4% em comparação com o mesmo período do ano passado.

Amanhã o Departamento de Energia dos Estados Unidos divulga seu relatório semanal sobre as condições dos estoques de cru e derivados no país.

(Valor Online, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.