SÃO PAULO - Os preços do petróleo recuaram na sexta-feira, em meio a novas especulações sobre o encontro dos membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), que acontece no domingo. Novos relatórios revisando para baixo previsões de demanda global contribuíram para o comportamento das cotações.

O contrato de WTI negociado para o mês de abril caiu US$ 0,78, para US$ 46,25. O vencimento de maio fechou a US$ 478,03, com recuo de US$ 0,94. Em Londres, o barril de Brent para o próximo mês caiu US$ 0,16, para US$ 44,93. O contrato para maio terminou cotado a US$ 45,88, com desvalorização de US$ 0,32.

Os agentes estão incertos sobre a possibilidade de redução da cota de produção dos países membros da Opep. Se por um lado os produtores alegam que os preços estão muito baixos para viabilizar a produção e novos investimentos, um corte de produção e consequente aumento de preço poderia prejudicar o processo de recuperação econômica.

Desde setembro, o cartel já anunciou cortes que somaram 4,2 milhões de barris, o que estabilizou o preço em torno de US$ 40. O mercado olha com incerteza para a reunião de domingo em Viena.

Hoje a Agência Internacional de Energia divulgou relatório mensal que o estoque global de óleo cru é de 83,9 milhões de barris diários, 1 milhão a menos do que o registrado um mês antes e 3,4 milhões inferior ao total estocado no mesmo mês de 2008.

Além disso, a agência também voltou a reduzir a previsão de demanda global deste ano para 84,4 milhões de barris diários, queda de 1,2% em relação a 2008. A Opep, por sua vez reduziu sua estimativa de demanda em 520 mil barris diários, para 84,6 milhões de barris diários.

(Valor Online, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.