Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Preços do petróleo fecham com ligeira queda em Nova York

SÃO PAULO - Os preços internacionais do barril de petróleo fecharam sem tendência definida nesta quarta-feira. Houve baixa em Nova York, mas os contratos mais líquidos de Londres fecharam entre a estabilidade e a ligeira alta.

Valor Online |

Depois de ter caído mais de US$ 2 por barril ontem, hoje os agentes levaram em conta não só as incertezas a respeito da demanda pelo produto, mas também contabilizaram o efeito de uma surpreendente redução dos estoques de cru nos Estados Unidos ao longo da última semana.

O contrato de WTI negociado para o mês de janeiro em Nova York fechou a US$ 46,79, com queda de US$ 0,17. Para o mês seguinte a baixa foi de US$ 0,11, para US$ 48,32. Em Londres, o barril de Brent para o mês que vem ficou estável em US$ 45,44. O contrato para fevereiro encerrou valendo US$ 47,80, com alta de US$ 0,16.

Conforme relatório divulgado hoje pelo Departamento de Energia dos Estados Unidos, pela primeira vez em 10 semanas, os estoques de petróleo cru nos Estados Unidos diminuíram em 400 mil barris na semana até o dia 28. Também caíram as reservas de gasolina, em 1,6 milhão de barris, e de destilados, cuja baixa foi de 1,7 milhão de barris no período.

A expectativa do mercado era de aumento de 2 milhões de barris nos estoques de cru, o que confirmaria a análise de demanda fraca no país. Mesmo não tendo sido confirmado essa expectativa, os contratos futuros da commodity fecharam em Nova York no menor nível desde fevereiro do ano passado.

Ainda assim, o Departamento de Energia dos EUA apontou que a demanda por gasolina nas últimas quatro semanas ficou 3,2% abaixo do consumo medido no mesmo intervalo do ano passado. No caso dos destilados, o recuo foi de 2,2%. Além disso, a notícia de fechamento de 250 mil postos de trabalho em novembro nos Estados Unidos também foi desanimadora para os investidores do segmento.

Ainda na pauta dos agentes do mercado de petróleo também está o encontro da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), marcado para o dia 17, que deve discutir um novo corte na produção do cartel para tentar reequilibrar os preços do produto.

(Valor Online, com agências internacionais)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG