Tamanho do texto

SÃO PAULO - Os preços do petróleo fecharam mais uma vez em queda nesta jornada, pressionados pelo recuo da demanda pelo produto nos Estados Unidos e pelas perspectivas pessimistas para o futuro do consumo global, tendo em vista o recente agravamento da crise financeira e o suspense em relação à aprovação do plano de socorro de US$ 700 bilhões proposto ao congresso pelo governo americano. O contrato de WTI negociado para o mês de novembro em Nova York fechou valendo US$ 105,73, com queda de US$ 0,88. O contrato para o mês seguinte caiu US$ 0,45, para US$ 105,02.

O barril de Brent para o mês de novembro encerrou cotado a US$ 102,45, com recuo de US$ 0,63, e o vencimento de novembro caiu US$ 0,47, para US$ 103,30.

O relatório divulgado hoje pelo Departamento de Energia dos Estados Unidos reportou queda acentuada da demanda no país. O consumo ficou em cerca de 19,5 milhões de barris diários nas últimas quatro semanas, uma baixa de 6,6% em relação ao mesmo intervalo do ano passado e o menor patamar desde outubro de 2003.

O levantamento semanal mostrou ainda recuo 5,9 milhões de barris dos estoques de gasolina na semana até o dia 19 de setembro e de 1,5 milhão de barris nas reservas de óleo cru. O nível de atividade das refinarias ficou em 66,7% na semana passada, no menor nível já registrado nos últimos 19 anos, por conta das interrupções causadas pela temporada de furacões no Golfo do México.

(Valor Online, com agências internacionais)