Belo Horizonte, 2 - A trajetória de queda nos preços do leite recebidos pelos produtores continuou pelo terceiro mês consecutivo, conforme levantamento realizado pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea/ESALQ-USP). A retração no valor bruto de setembro, referente ao produto entregue em agosto, foi de 5,5 centavos por litro, ou 7,62%, considerando-se os sete Estados tradicionalmente incluídos na média ponderada nacional (RS, SC, PR, SP, MG, GO e BA).

Dessa forma o valor médio caiu para R$ 0,6574/litro (valor bruto). Em Mato Grosso do Sul e no Rio de Janeiro, Estados que ainda não compõem a média nacional do Cepea, as quedas foram ainda maiores, chegando a 9 e 12 centavos por litro, respectivamente. O valor do último pagamento é cerca de 10 centavos maior que o de setembro/2006 e de 2005, e pouco menor que o de setembro/2004, na comparação com valores deflacionados pelo IPCA.

Segundo os técnicos do Cepea, o comportamento dos preços reflete uma acomodação tanto dos valores pagos aos pecuaristas quanto dos preços dos derivados de leite, em função de a oferta ter avançado em ritmo mais acelerado que a demanda, apesar dos bons índices de crescimento da economia brasileira e dos resultados recordes nas exportações. A produção de leite nos oito primeiros meses deste ano aumentou 19% em relação do volume captado em igual período do ano passado.

No segundo semestre deste ano, conforme a avaliação dos pesquisadores do centro, a recuperação da oferta que normalmente ocorre neste período está mais lenta que nos anos anteriores. Conforme o Índice de Captação de Leite do Cepea (ICAP-L), o volume de leite recebido pelas empresas em agosto foi 1,28% superior ao de julho, enquanto no mesmo período do ano passado foi de 7%.

Derivados

Os preços dos derivados de leite também seguem em queda, segundo pesquisas do Cepea. O leite UHT vendido no atacado paulista em agosto recuou 12,15% em relação a julho; o leite pasteurizado sofreu desvalorização de 3,2% e os queijos mussarela e prato tiveram recuos de 8,5% e 10%, respectivamente. A menor queda foi a do leite em pó (sachê de 400g), de apenas 2,7%.

Considerando a média de preços dos derivados apurada em agosto e o valor pago aos produtores em setembro, ambos no Estado de São Paulo, a cotação de um litro de UHT representou 1,78 litro do produtor. No mês anterior, essa relação era de 1,90 e há um ano, de 2,14. Isso indica que mesmo com a redução dos preços ao produtor, as indústrias, de modo geral, ainda continuam perdendo poder de compra devido às quedas mais acentuadas em alguns derivados.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.