Ribeirão Preto, 31 - O preço pago pelas usinas ao produtor pela tonelada cana-de-açúcar no Estado de São Paulo, maior produtor do País, encerrou a safra 2008/2009 em R$ 39,85 por tonelada, alta de 11,28% sobre os R$ 35,81 a tonelada da safra 2007/2008. Os dados estão na circular de fechamento de safra, divulgada há pouco pelo Conselho dos Produtores de Cana-de-açúcar, Açúcar e Álcool do Estado de São Paulo (Consecana).

Os dados são fornecidos pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea/Esalq/USP) à entidade que define a remuneração da matéria-prima entregue à indústria. Os cálculos são feitos a partir da média dos preços de nove produtos derivados da cana e de outras variáveis, como a qualidade da matéria-prima.

Segundo o presidente da Organização dos Plantadores de Cana da Região Centro-Sul do Brasil (Orplana), Ismael Perina, mesmo com o aumento no preço, o valor a cana-de-açúcar recebido pelo produtor é até 24% abaixo do custo de produção, estimado por ele entre R$ 52 e R$ 52,50. "O preço recebido não remunera os investimentos já há duas safras e o cenário para a próxima não é diferente", disse. "Com isso, o produtor investe menos tem dificuldades de cumprir seus compromissos", completou.

O Consecana informou que os cerca de 12,5 mil produtores paulistas associados à Orplana entregaram 109,12 milhões de toneladas de cana na safra de cana que termina hoje, aumento de 36,75% sobre as 82,82 milhões de toneladas entregues à indústria na safra passada. O faturamento desses agricultores em São Paulo atingiu R$ 4,35 bilhões, alta de 46,6% sobre os R$ 2,96 bilhões obtidos na safra anterior.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.