Roma, 18 jul (EFE) - O preço dos cereais se manterá alto entre 2008 e 2009, apesar de se esperar um aumento na produção desses em nível mundial, advertiu hoje em um relatório a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO). Segundo o organismo, no Brasil aumentaram as plantações de cereais, enquanto na Argentina as políticas agrárias e as condições meteorológicas levaram à redução do produto. Espera-se que, em 2008, a produção mundial de cereais aumente 2,8%, o que representa uma alta de 2.180 toneladas, embora, segundo a FAO, este crescimento mal supere a demanda prevista.

O maior aumento será registrado na produção de trigo, graças à expansão dos cultivos dedicados a este cereal.

Além disso, espera-se que a produção de cereais de grão grosso alcance os níveis recorde da última estação, mas que não se cumpram as expectativas anunciadas, devido às inundações que afetaram as plantações dos Estados Unidos, o maior produtor do artigo.

Apesar destes aumentos, a FAO prevê que o preço dos cereais se manterá alto e lembrou como o custo das exportações de milho cresceu nas últimas semanas.

Enquanto isso, os preços de cultivos como o trigo ou o arroz, apesar de uma ligeira baixa, continuam sendo comercializados a preços muito superiores aos de 2007.

A FAO destacou que, enquanto se espera que a produção de cereais se recupere em países como o Marrocos e a África do Sul, e que repita os níveis recorde do ano passado em China e Índia, existem outras nações, sobretudo no leste da África, para os quais as previsões não são favoráveis.

Além disso, em Estados como o Afeganistão e Tadjiquistão, espera-se um agravamento da situação de insegurança alimentícia. EFE ebp/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.