SÃO PAULO - A preocupação com a situação econômica dos Estados Unidos justificou a baixa dos preços do petróleo nesta jornada. Mesmo com o aumento do consumo de gasolina identificado na última semana, os agentes ajustaram os preços com a retomada das inquietações com relação ao consumo futuro em meio ao processo de recessão na maior economia do mundo.

O contrato de WTI negociado para o mês de abril em Nova York fechou em baixa de US$ 0,46, para US$ 44,76. O vencimento de maio fechou a US$ 46,89, com recuo de US$ 0,58. Em Londres, o barril de Brent para o mês de abril caiu US$ 0,16, para US$ 46,35. O contrato para o mês seguinte terminou cotado a US$ 47,20, com desvalorização de US$ 0,41.

A revisão do resultado do PIB americano apontou que a economia do país cedeu a uma taxa anualizada de 6,2% entre outubro e dezembro do ano passado, retração mais forte do que o estimado anteriormente para o período, de queda de 3,8%. A previsão média de analistas de mercado indicava que a retração ficaria em torno de 5,5% no quarto trimestre de 2008.

Os preços do petróleo só não recuaram mais, pois o mercado também se convence de que será inevitável um novo corte de produção por parte da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep). O cartel se reúne no mês que vem para discutir o assunto e buscar alternativas para ajustar a oferta e tentar reequilibrar as cotações do produto.

(Valor Online, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.