SÃO PAULO - Os preços internacionais do petróleo continuam em queda nesta quinta-feira, pressionados pelos dados de emprego nos EUA, que decepcionaram o mercado e indicam a fraca evolução da recuperação da economia do país. Logo pela manhã, os agentes conheceram os novos pedidos de seguro-desemprego nos Estados Unidos, que aumentaram em 18 mil na semana fechada em 3 de abril, na comparação com uma semana antes, para 460 mil.

SÃO PAULO - Os preços internacionais do petróleo continuam em queda nesta quinta-feira, pressionados pelos dados de emprego nos EUA, que decepcionaram o mercado e indicam a fraca evolução da recuperação da economia do país. Logo pela manhã, os agentes conheceram os novos pedidos de seguro-desemprego nos Estados Unidos, que aumentaram em 18 mil na semana fechada em 3 de abril, na comparação com uma semana antes, para 460 mil. O resultado surpreendeu negativamente os analistas. Além disso, a Grécia continua no centro das preocupações, com a possibilidade de um default. Ante os temores, o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet, afastou a perspectiva de que Atenas não cumpra com seus pagamentos e disse que não há motivos para não se confiar que o plano acertado para socorrer os gregos possa ser implementado caso haja necessidade. Há pouco, em Londres, o Brent para maio tinha queda de US$ 0,66, saindo a US$ 84,93. O vencimento de junho era transacionado a US$ 85,60, ligeira baixa de US$ 0,60. Em Nova York, o WTI com entrega em maio marcava US$ 85,45, decréscimo de US$ 0,44. O contrato de junho diminuía US$ 0,45, a US$ 86,06. (Vanessa Dezem | Valor, com agências internacionais)
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.