SÃO PAULO - Em uma sessão de altos e baixos, os preços do petróleo apresentavam queda minutos atrás. Ao mesmo tempo que os agentes acompanham notícias vindas da Nigéria, sobre um oleoduto danificado e possíveis ataques de militantes, também mostram a preocupação de que um ritmo de crescimento econômico mais brando conterá a demanda.

Novamente, aparece na pauta os dados sobre os estoques de energia dos Estados Unidos, divulgados ontem pelo governo daquele país. As reservas de cru, gasolina e destilados tiveram recomposição na semana passada em relação a anterior e surpreenderam muitos analistas.

A paridade do dólar frente a outras moedas é outro ponto sob observação.

Há pouco em Londres, o Brent para setembro perdia US$ 3,21, a US$ 132,60. O contrato de outubro baixava US$ 3,22, cotado a US$ 133,62.

Em Nova York, o WTI para agosto, na contramão, ganhava US$ 1,50, para US$ 136,10. O vencimento de setembro era cotado a US$ 133, com diminuição de US$ 2,32.

(Juliana Cardoso | Valor Online, com agências internacionais)

Leia mais sobre petróleo

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.