SÃO PAULO - O preço do petróleo declina ao menos US$ 5 em Londres e Nova York ante o temor de que uma possível recessão global afete o consumo do produto. Os agentes estão de olho na situação econômica internacional e voltam-se as atenções para as reuniões conjuntas do Fundo Monetário Internacional (FMI) e Banco Mundial em Washington.

Os investidores receberam ainda relatório da Agência Internacional de Energia (AIE), que reduziu sua previsão para a demanda por petróleo deste ano em 240 mil barris por dia e em 440 mil barris diários a de 2009. agora, o organismo prevê que a procura pelo produto será de 86,5 milhões de barris por dia em 2008 e de 87,2 milhões de barris diários nos 12 meses seguintes.

O organismo citou que a debilidade das condições econômicas, a turbulência financeira e os altos preços estão tendo impacto expressivo na demanda por petróleo em países pertencentes à Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), especialmente os Estados Unidos.

Ontem, em meio às inquietações com o quadro econômico e financeiro global, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) convocou reunião emergencial para 18 de novembro.

Em Londres há instantes, o Brent para novembro recuava US$ 5,94, a US$ 76,72. O contrato de dezembro tinha baixa de US$ 5,65, a US$ 78,31.

Na praça nova-iorquina, o WTI com entrega em novembro era transacionado a US$ 80,73, decréscimo de US$ 5,86. O vencimento do último mês de 2008 perdia US$ 5,91, saindo a US$ 80,71
(Valor Online, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.