SÃO PAULO - As negociações com o petróleo refletem nesta tarde o comportamento dos estoques de energia dos Estados Unidos e tensões geopolíticas. Americanos e israelenses condenaram nesta quarta-feira os testes realizados pelo Irã com mísseis de médio e longo alcance.

A mídia estatal iraniana informou que foram lançados nove mísseis ao todo, incluindo um novo Shahab-3, com alcance de 2 mil quilômetros. Para o subsecretário de Estado americano, William Burns, o teste iraniano foi uma provocação.

No início da semana, os Estados Unidos também realizaram exercício militar na região do Golfo Pérsico.

No fim desta manhã, o Departamento de Energia americano apontou queda de 5,9 milhões de barris nas reservas de cru na semana passada, bem mais do que o projetado por muitos analistas. Os níveis de gasolina e de destilados subiram.

Há pouco, em Londres, o Brent para agosto subia US$ 1,28, a US$ 137,71. O vencimento de setembro estava a US$ 138,61, com valorização de US$ 1,26.

Em Nova York, porém, o WTI para agosto tinha ligeira queda, de US$ 0,04, a US$ 136. O contrato de setembro era transacionado a US$ 136,40, com baixa de US$ 0,33.

(Juliana Cardoso | Valor Online, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.