Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Preço da gasolina derruba vendas de principais fabricantes de automóveis

Washington, 1 ago (EFE).- O enfraquecimento da economia americana e os elevados preços da gasolina voltaram a golpear com violência os principais fabricantes de automóveis, que quase sem exceção registraram fortes perdas em julho.

EFE |

General Motors (GM), Ford, Chrysler e Toyota terminaram o mês de julho com grandes quedas em suas vendas.

As maiores perdas corresponderam aos fabricantes americanas General Motors e Chrysler.

Para o primeiro, suas vendas caíram 26,7% no mês passado. Foi um dia de más notícias para a GM, que no início desta sexta-feira anunciou US$ 15,5 bilhões em perdas no segundo trimestre do ano.

Só em outras duas ocasiões em seus 100 anos de história o fabricante tinha obtido piores resultados em um trimestre.

Já as vendas da Chrysler caíram 29% em julho.

GM e Chrysler estão sofrendo mais que qualquer outro fabricante com as mudanças dos hábitos dos compradores americanos, que estão deixando de dirigir carros de maior porte, como jipes e pickups, e passando a comprar veículos menores e mais econômicos no consumo de gasolina.

Mas a GM também admitiu que suas vendas de carros de maior porte caíram 41,5% no mês passado, enquanto as de automóveis comuns foram reduzidas em 12,1%.

Apesar dos maus resultados, os diretores da GM tentaram mostrar otimismo.

"Obviamente a fraqueza no mercado de caminhonetes persistiu em julho, embora seguimos mantendo nossa cota graças a nossa liderança na economia de combustível em muitos segmentos", disse o vice-presidente da GM para Vendas na América do Norte, Mark LaNeve.

As vendas do grupo Ford caíram 14,9% em julho nos Estados Unidos para 161.530 veículos, diante da drástica queda das vendas de carros de grande porte, como pickups e jipes.

Porém, o segundo maior fabricante americano pôde exibir resultados positivos nas vendas de carros comuns.

A Ford terminou julho com um aumento na venda de carros de 8%, com a demanda do Ford Focus 16% mais elevada que há um ano.

A mudança do hábito dos compradores chegou inclusive aos mercados mais firmes, e a Ford está se beneficiando disso.

O vice-presidente de Marketing e Comunicações da Ford, Jim Farley, qualificou de "bomba" os resultados no Texas, onde a empresa quase duplicou as vendas do pequeno Focus.

O Texas é o mercado clássico das grandes pickups, caminhonetes e jipes, cujo elevado consumo de gasolina se tornou um problema tanto parar os consumidores como para os fabricantes de automóveis.

"Se podemos aumentar as vendas de pequenos carros no Texas, podemos aumentá-las em qualquer lugar", acrescentou Farley A dura realidade econômica americana também afeta aToyota, que há pouco tempo registrava mês a mês aumento em suas vendas.

Os bons resultados da Toyota acabaram. Em julho, as vendas do principal fabricante japonês caíram 18,7%, para 197.424 veículos.

A maior queda das vendas da Toyota aconteceu na categoria de caminhonetes, onde a divisão Toyota perdeu 32,7% das vendas e a divisão de veículos de luxo Lexus 20,3 %.

A Honda, segundo maior fabricante japonês, também teve que se conformar com números vermelhos. Suas vendas tiveram baixa de 9,2% e seus diretores reconheceram que terão que ajustar sua produção às necessidades do mercado americano.

A queda do volume de vendas da Honda aconteceu, exclusivamente, devido à queda da compra de caminhonetes.

Enquanto as vendas de carros da divisão Honda aumentaram 5,2%, as de caminhonetes caíram 28%.

A exceção ficou por conta da Nissan que, apesar das difíceis condições nos EUA, registrou um aumento de 8,5% em suas vendas em julho. No total, o grupo Nissan - formado pelas divisões Nissan e Infiniti- vendeu 95.319 unidades. EFE crd/rr

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG