Ribeirão Preto, 13 - O preço médio da terra no País atingiu R$ 4.599/ha (R$ 4.

Ribeirão Preto, 13 - O preço médio da terra no País atingiu R$ 4.599/ha (R$ 4.599 por hectare) no primeiro bimestre de 2010, alta de 3,9% sobre igual período de 2009, de acordo com levantamento divulgado hoje pela AgraFNP Consultoria. O valor é ainda 0,12% superior aos R$ 4.593/ha do último bimestre do ano passado e mostra, segundo Jacqueline Bierhals, analista do mercado de terras da AgraFNP, "uma recuperação diante do cenário de crise no início do ano passado e de uma queda nas commodities". O preço médio das terras no Brasil entre janeiro e fevereiro é ainda o novo recorde nominal, mas ainda fica abaixo dos R$ 4.710/ha, em valores deflacionados, de maio e junho de 2009. De acordo com Jacqueline, além do movimento tradicional de negócios no Nordeste, onde há terras mais baratas, e no Sul, as mais caras, o destaque no bimestre ficou para São Paulo e Mato Grosso do Sul. Em São Paulo, o preço da terra dá sinais de recuperação nas regiões canavieiras, justamente com a retomada da lucratividade das usinas e destilarias. "Como as indústrias, e não os produtores, voltaram a ter margens positivas, o reflexo nos preços das terras para cana foi imediato", explicou a analista. Já em Mato Grosso do Sul, o mercado mais aquecido fica no eixo entre Três Lagoas e Campo Grande, com a implantação de vários projetos de papel e celulose, os quais puxaram os preços para terras de florestas de eucalipto. Segundo a AgraFNP, no longo prazo o cenário é favorável à elevação dos preços das terras brasileiras. Entre as regiões brasileiras, a Sul segue como a de maior cotação nas terras no primeiro bimestre de 2010, com valor médio de R$ 9.486/ha, leve baixa ante os R$ 9.493/ha entre novembro e dezembro do ano passado. A região Sudeste teve ligeiro aumento, passando de R$ 7.844/ha para R$ 7.868/ha no período e, no Centro-Oeste, o preço médio chegou a R$ 3.487/ha, ante R$ 3.446/ha. A região Nordeste registrou pequena desvalorização nominal, com a média caindo de R$ 2.045/ha para R$ 2.028/ha. No Norte a cotação recuou de R$ 1.449/ha para R$ 1.423/ha, em média. Ainda segundo a AgraFNP, nos últimos 12 meses, a região Sul lidera com a maior valorização do País, de 7,5%, seguida pelas regiões Norte, com 5,7%, Nordeste (4%), Centro-Oeste (3,8%) e Sudeste (3,1%).
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.