A ampliação do prazo e a redução das taxas de juros no ano passado colaboraram para o crescimento das cartas de crédito imobiliário dos bancos privados no primeiro semestre deste ano. Isso pode ser observado nos balanços dos resultados do primeiro semestre divulgados esta semana.

O Bradesco, por exemplo, comemora a aplicação de R$ 2,984 bilhões no primeiro semestre - alta de 64,2% nos últimos 12 meses.

Ante o bom desempenho, o banco até elevou a meta de aplicação do ano de R$ 5,3 bilhões para R$ 5,7 bilhões. "No ano passado, aplicamos R$ 4 bilhões", diz o diretor-executivo do Bradesco, Ademir Cossielo. "O crescimento do setor, a nosso ver, é consistente. Em 2007 já foi expressivo. Em 2008, não está sendo diferente."

Na opinião de Cossielo, o resultado tem a ver com o ciclo produtivo do mercado imobiliário, de duração média de dois anos, entre o lançamento, construção e entrega de chaves. "Muitos negócios hoje se referem a lançamentos feitos em 2006."

Na conferência realizada ontem pelo Itaú para divulgar os resultados do primeiro semestre de 2008, o diretor de controladoria do banco Silvio de Carvalho destacou o bom desempenho do crédito imobiliário. A carteira do banco fechou o semestre com aplicação de R$ 3,180 bilhões ante R$ 2,476 bilhões do mesmo período de 2007. A expectativa para o ano, segundo ele, é de um crescimento de 40%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.