Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

PR perde 2,97 milhões de toneladas na safra por causa da estiagem

São Paulo, 19 - O Paraná contabiliza perda de 2,97 milhões de toneladas de feijão, milho, soja, fumo, batata e cebola por causa da estiagem que atingiu o Estado em novembro e primeiros dias de dezembro. O prejuízo soma R$ 1,5 bilhão, disse hoje o secretário da Agricultura e do Abastecimento, Valter Bianchini, em nota distribuída pela assessoria de imprensa do governo.

Agência Estado |

Segundo o secretário, o Paraná vai colher 19 milhões de toneladas, considerando somente os grãos, e não mais os 21,7 milhões de toneladas, conforme a previsão inicial.

O feijão deve ter quebra de produção de 25,5%. Com a estiagem, o Estado deverá colher 454,8 mil toneladas, ante as 610,5 mil toneladas previstas inicialmente. Segundo Bianchini, historicamente um volume colhido de 450 mil toneladas de feijão representa uma boa produção no Estado, mas esperava-se um volume maior para contribuir com a estabilização dos preços no mercado. Com a quebra de safra, no atacado o preço da saca de feijão subiu 25%, de R$ 80,00 a saca para R$ 100,00 a saca, informou o governo paranaense.

No milho, a quebra estimada é de 20%. Conforme levantamento do Departamento de Economia Rural (Deral), foi a maior quebra em volume de produção. A previsão inicial era colher 8,73 milhões de toneladas de milho e a estimativa atual prevê a produção de 6,98 milhões de toneladas, que corresponde a uma perda de 1,75 milhão de toneladas e prejuízos avaliados em R$ 443,8 milhões. As regiões mais castigadas com a perda do milho foram Campo Mourão, Cascavel, Francisco Beltrão, Guarapuava, Irati, Laranjeiras do Sul, Pato Branco e Ponta Grossa.

A soja, por ser uma cultura que foi plantada mais tarde, sofreu menos. Mas o prejuízo financeiro é maior em decorrência do valor do grão nos mercados interno e externo. O Deral estima uma redução de 8,3%, que corresponde a uma quebra de produção de 1,02 milhão de toneladas e prejuízos avaliados em R$ 673,5 milhões. A estimativa inicial previa uma produção de 12,23 milhões de toneladas, e caiu para R$ 11,21 milhões.

As lavouras prejudicadas estavam em floração e iniciaram a frutificação em pleno período de estiagem. Lavouras plantadas no início de novembro ainda podem se desenvolver e ter boa produtividade. As maiores perdas foram verificadas nas regiões de Campo Mourão, Cascavel, Cornélio Procópio, Francisco Beltrão, Londrina e Toledo. Essas seis regiões respondem por 53% da produção estadual.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG