SÃO PAULO - Revertendo as perdas observadas no começo da sessão o mercado norte-americano firma posição em território positivo. A melhora de humor veio com reportagens indicando que os senadores chegaram a um acordo inicial para liberar recursos para as montadoras do país.

Depois de testar novas mínimas aos 7.776 pontos, por volta das 16 horas o Dow Jones registrava alta de 2,03%, aos 8.159 pontos. O Nasdaq ganhava 1,51%, para 1.407 pontos e o S & P 500 tinha valorização de 1,41%, para 817 pontos.

A possibilidade de solução para o problema do setor melhora o humor dos investidores, que durante boa parte da sessão foi novamente atingido por notícias negativas, como o aumento nos pedidos por seguro desemprego e menor atividade na região da Filadélfia.

Desde o começo da semana Ford, GM e Chrysler apelam pela aprovação de um plano de ajuda de US$ 25 bilhões.

Destaque para as ações da General Motors, que subiam mais de 15%, depois de um mergulho de 35% que levou o papel à menor cotação desde 1938. Forte alta também para os ativos da Ford, que aumentavam 26,19%.

Por outro lado, os bancos continuam perdendo valor. O papel Citigroup perdia 11%. O papel não ganhou fôlego mesmo depois que o príncipe saudita Alwaleed bin Talal anunciou que elevará sua participação no capital do banco de menos de 4%, para 5%.

Ainda no setor, JP Morgan recuava 7,62%, e as financeiras hipotecárias Freddie Mac e Fannei Mae caíam 10,3% e 5,29%, respectivamente.

Leia mais sobre Wall Street

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.