Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Positivo rejeita oferta da chinesa Lenovo

A Positivo Informática anunciou no começo da noite de ontem que rejeitou uma oferta firme de R$ 18 por ação feita pela chinesa Lenovo. No comunicado, a empresa esclarece que não há qualquer expectativa de negociação com a Lenovo para a alteração dos termos da oferta ou qualquer outra operação que, de alguma forma, pudesse resultar na aquisição de seu controle.

Agência Estado |

"Os acionistas controladores e a Lenovo concluíram que não é possível chegar a um acordo dado o atual contexto econômico", diz a nota.

A empresa reafirmou também que continuará considerando qualquer operação que possa ser do interesse da companhia ou de seus acionistas, inclusive eventuais acordos operacionais com a Lenovo ou terceiros. Segundo o informe, não há qualquer discussão em curso que possa afetar o seu controle. A Positivo declarou ainda que está sólida e capitalizada, e que nunca procurou nem procura ser adquirida.

Segundo fontes próximas à negociação, porém, a Lenovo ainda não desistiu da compra, e os negociadores da empresa continuam no Brasil. O interesse da Lenovo pela Positivo se intensificou na semana passada, quando representantes da fabricante chinesa estiveram em Curitiba, sede da empresa brasileira, para pedir exclusividade nas negociações. Ela estava disputando a operação com a americana Dell.

Na ocasião, o Estado divulgou que os compradores estariam interessados em pagar R$ 20 por ação e que os controladores queriam um valor acima do negociado no IPO - algo entre R$ 25 e R$ 30. As ações estavam cotadas ontem a R$ 8. O prazo de preferência terminaria nesta semana, segundo fontes.

Após uma escalada de preços na semana passada - em alguns momentos, os papéis subiram 125% -, as ações da Positivo caíram 27,54% ontem. Até ontem, a fabricante brasileira vinha insistindo em dizer que não havia nada concreto, que justificasse fato relevante. A CVM, porém, abriu no dia 11 de dezembro uma investigação interna para apurar "irregularidade detectada" nas negociações de ações da Positivo. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG