FONT-SIZE: 9pt; COLOR: black; FONT-FAMILY: ArialMais de 80% da população acha que os preços de serviços e produtos aumentou este ano no Brasil. O preço dos alimentos foi o mais sentido, com 69,2% dos entrevistados insatisfeitos com o valor nas prateleiras. FONT-SIZE: 9pt; COLOR: black; FONT-FAMILY: ArialA pesquisa CNT/Sensus divulgada nesta segunda-feira também quis saber se o brasileiro acredita que sua vida e de sua família melhorou nos últimos quatro anos.

Acordo Ortográfico

As respostas revelaram que 61,5% dos entrevistados estão satisfeitos nesse sentido. Para 25,8% a qualidade de vida está igual e para 11,6 % piorou.

Apesar disso, o poder de compra da população é maior no governo Lula do que em governos anteriores, revela a pesquisa, realizada entre 15 e 19 de setembro entre 2 mil eleitores de 136 municípios. Em relação à capacidade de consumo com o valor do salário mínimo, 58,1% perceberam aumento. Sobre o poder de compra, 18,8% acham que o poder de compra está igual e 20,5% afirmam que piorou.

Programas Sociais alavancam popularidade de Lula

Os programas sociais são conhecidos por 65,6% dos brasileiros. Desses, 16% são beneficiários. 33,3% afirmam não receber benefícios sociais nem mesmo conhecer alguém que os ganhe.

Ainda 75,3% afirmam que votariam em candidatos apoiados pelo governo para garantir a continuidade dos programas. Enquanto só 13,6% não se influenciariam por esse argumento de campanha para eleger um candidato.

Para Ricardo Guedes, diretor do instituto Sensus, observa que a popularidade do presidente Lula pode ser explicada pelo bom momento da economia e os resultados obtidos pelos programas sociais do governo. Em especial pelo Bolsa-Família, Bolsa-Alimentação, Bolsa-Escola, Vale-Gás, Programa Fome Zero e Programa Primeiro Emprego.

Segundo a pesquisa Sensus, Lula atingiu novo recorde de avaliação positiva, com 68,8% da população satisfeita com seu governo. Esta é a melhor avaliação de um governo desde 1998, quando a Sensus começou a fazer pesquisas de opinião pública para a Confederação Nacional dos Transportes (CNT).

Leia mais sobre a inflação

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.