Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

População ocupada cai entre outubro e novembro, mostra IBGE

RIO -A população ocupada caiu 0,4% entre outubro e novembro nas seis regiões metropolitanas analisadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na Pesquisa Mensal de Emprego (PME). A redução equivale a 95 mil postos de trabalho a menos em um período do ano em que é normal haver aumento no indicador devido ao aquecimento provocado pelas vendas de fim de ano.

Valor Online |

Apesar do dado, o IBGE pondera que ainda é cedo para ligar a piora do mercado de trabalho à crise econômica.

" Nunca tinha havido queda da população ocupada entre outubro e novembro e esse foi um dos motivos que manteve a taxa de desocupação estável " , destaca Cimar Pereira, gerente da PME, lembrando que, no mesmo período do ano passado, a população ocupada havia subido 0,7%.

Outro indicador que piorou em novembro foi a população desocupada, que subiu 1,1%, o equivalente a 19 mil pessoas. Entre as principais reduções de postos de trabalho, destaque para a queda de 0,6%, ou 25 mil postos a menos, no setor de comércio entre outubro e novembro. Houve redução de empregos também nos serviços prestados a empresas, com queda de 2,5% ou 83 mil pessoas; nos serviços domésticos, com baixa de 1,5% ou 25 mil pessoas; e outros serviços, com recuo de 0,8%, ou 32 mil vagas a menos.

" Esperava-se uma alta da ocupação no comércio por causa das vendas de fim de ano, mas isso não aconteceu " , ressalta Pereira.

Para Pereira, o real impacto da crise sobre o mercado de trabalho poderá ser visto apenas em janeiro, quando estará perceptível o saldo de contratações de funcionários inicialmente empregados como trabalhadores temporários. Segundo ele, o resultado de novembro - que trouxe estabilidade para a taxa de desocupação em 7,6%, também em um período de tendência de queda - coloca em dúvida a possibilidade de dezembro apresentar a menor desocupação da série histórica, de 7,4% em dezembro do ano passado.

" O resultado de novembro embaçou um pouco a expectativa " , frisou Cimar.

O gerente ponderou que, mesmo com o freio nas contratações apresentado em novembro a tendência é de que a média da desocupação em 2008 fique abaixo da média do ano passado. Nos 11 meses acumulados no ano, a média da taxa de desocupação é de 8%, contra 9,5% em igual período do ano passado. Em 2007 inteiro, a média ficou em 9,3%.

" Apesar de alguns dados ruins em novembro, o cenário ainda é positivo, com taxa de desocupação baixa " , diz Pereira.

Um dos dados positivos da pesquisa em novembro foi o aumento do rendimento, que subiu 0,9% em comparação com outubro, para R$ 1.273,60. De acordo com o gerente da PME, contribuíram para o resultado a inflação menor, de 0,34% de média do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) em novembro, contra 0,55% em outubro, e a redução dos postos de trabalho sem carteira, justamente os que têm o menor rendimento médio.

Em novembro, o rendimento dos empregados com carteira assinada subiu 4% em relação a outubro, para R$ 1.266,50, enquanto o rendimento dos funcionários sem carteira caiu 2,5%, para R$ 792,00. Em relação à ocupação, os empregados sem carteira foram justamente os mais prejudicados, com perda de 38 mil empregos em novembro, o equivalente a uma redução de 1,3% frente a outubro. Já a queda dos empregados com carteira foi menor, de 0,2%, ou 22 mil postos de trabalho a menos.

" A maior parte dos empregados que deixou o mercado de trabalho tinha salários menores " , afirma Pereira.

(Rafael Rosas | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG