Se no ano passado o Volkswagen Polo lutou para vencer fortes rivais entre os hatches pequenos com motor de 1,4 a 1,6 litro, este ano sua missão foi ainda mais difícil. Dois modelos de grande apetite chegaram desde então, Fiat Punto, um de seus principais rivais (na opção 1.

4), e Sandero (nas versões 1.6 de 8 e 16 válvulas). O Renault tem no preço a partir de R$ 32.690 seu ponto forte. Mas por esse valor, vem "pelado".

Além dos novatos, esse pedaço do mercado ainda tem Citroën C3 (1.4 e 1.6), Ford Fiesta 1.6, Chevrolet Corsa 1.4, Peugeot 207 (1.4 e 1.6) e o "irmão" VW Fox 1.6.

Com tabela de R$ 42.720, o Polo foi o melhor por traduzir exatamente aquilo que espera quem compra um hatch compacto mais sofisticado. O modelo oferece o "algo a mais" ao volante, aliado ao bom acabamento, dirigibilidade e conforto superiores e mecânica impecável.

Na linha 2009 o motor passou por alterações e ganhou o nome VHT, referência à elevada taxa de compressão. Melhorou a potência (agora tem até 104 cv com álcool, 1 cv a mais) e o torque, disponível em rotação mais baixa. Antes os 14,5 mkgf (álcool) vinham a 3.250 rpm. Agora são até 15,6 mkgf entregues já a 2.500 giros. A exemplo do que ocorreu no Golf, o Polo ficou mais disposto em baixa rotação, apesar da alteração no diferencial, que tornou as marchas mais longas.

A mudança beneficiou o conforto em viagens e o consumo, já que o motor está em giro mais baixo a 120 km/h. Outros aspectos continuam fazendo valer a compra: suspensão bem acertada, boa posição de dirigir e visibilidade.

A lista de equipamentos de série do Polo conta com ar-condicionado, direção hidráulica, computador de bordo e abertura elétrica do porta-malas, entre outros.

No mercado o Polo não exibe a mesma vivacidade. Ele é o último entre os hatches compactos no acumulado de janeiro a julho deste ano, com 12.792 unidades vendidas. Seus rivais diretos, Fiat Punto e Citroën C3, foram melhor, com 26.521 e 21.414 emplacamentos, respectivamente.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.