Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Placa falsa é usada contra o rodízio

O rodízio de caminhões implantado na segunda-feira em São Paulo fez surgir um novo golpe. Ontem, a Polícia Rodoviária Federal flagrou uma carreta com placa adulterada na altura do km 282 da Rodovia Régis Bittencourt, em Embu, Grande São Paulo.

Agência Estado |

O motorista Wener Veronez, de 26 anos, pretendia, segundo a polícia, evitar multa de R$ 85,13 e quatro pontos na carteira por trafegar na no centro expandido da capital, onde caminhões estão proibidos de circular das 7 às 10 horas e das 17 às 20 horas. Com a fraude, a multa ficaria para outro veículo.

A irregularidade foi descoberta por volta das 10 horas, quando a polícia abordou o caminhão no acostamento. Veronez vinha de Santos para carregar o caminhão e voltar ao litoral. Na fiscalização, os policiais observaram a adulteração do número da placa. Segundo a polícia, Veronez transformou o número 5, final da placa, em 8 depois de misturar tinta em creme dental. Veronez foi levado à delegacia de Embu e, se comprovada a fraude, vai responder por adulteração, cuja pena um juiz determina.

O rodízio para caminhões ainda pegou motoristas de surpresa ontem. Antonio Rosa só descobriu que não poderia cruzar São Paulo, com veículo de placa 5, até as 10 horas, após trafegar 700 quilômetros entre Muriaé (MG) e a capital. Às 9h30, perto do Ipiranga, foi informado da multa por marronzinhos. "Não tô sabendo desse negócio de rodízio. O que eu faço agora?" Recebeu orientações dos agentes e decidiu realizar a entrega de uma bobina de aço.

O secretário municipal dos Transportes, Alexandre de Moraes, comemorou a queda nos índices de lentidão ontem, mesmo com a volta às aulas em parte das escolas. A média das 7 às 10 horas de ontem foi de 20 quilômetros, contra a média de 29 km na segunda. O pico da manhã ocorreu às 9h30, quando a lentidão atingiu 34 km. Na segunda, o maior pico, de 48 km, foi às 9h30. Na tarde de ontem, o pico, de 67 km, foi registrado às 18 horas. Na terça, o congestionamento nesse horário foi de 76 km. "É uma grata surpresa e demonstra aquilo que vínhamos dizendo: os caminhões não só têm um impacto no trânsito pelo tamanho, pela quantidade, mas por serem obstáculos móveis."

Os índices registraram queda em relação ao mesmo período de julho de 2007. Na segunda, a redução foi de 49% em relação às médias das segundas do mês do ano passado. Na terça-feira, a queda foi de 32%. Com o fim das férias escolares, a secretaria espera acréscimo de 20% da circulação de veículos. "Vamos aguardar os primeiros dias (da volta às aulas)", disse Moraes.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG