Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Piratas da Somália liberam petroleiro saudita

O ministro de Petróleo da Arábia Saudita, Ali Naimi, disse que um petroleiro saudita foi liberado nesta manhã pelos piratas da Somália e ruma para casa depois do pagamento de um resgate no valor de US$ 3 milhões. Em um comunicado divulgado hoje, Naimi disse que a tripulação do Sirius Star, que foi libertada na sexta-feira, está salva.

Agência Estado |

Ele disse que o petroleiro deixou as águas territoriais da Somália e está se dirigindo para a Arábia Saudita. O Sirius Star e seus 25 tripulantes foram feitos reféns no dia 15 de novembro. O petroleiro transportava o equivalente a US$ 100 milhões em petróleo na ocasião.

A captura do petróleo foi vista como uma dramática demonstração da habilidade dos piratas em atacar alvos de elevado valor a centenas de quilômetros da costa.

No mesmo dia que o navio saudita foi liberado, os piratas também libertaram um navio cargueiro charter iraniano, segundo informou a tevê estatal iraniana neste sábado. Segundo a tevê iraniana, o navio Daylight transportava 36 toneladas de trigo quando foi atacado no Golfo de Áden em 18 de novembro e tomado pelos piratas. Todos os 25 tripulantes estão em boa saúde e o navio está rumando para o Irã, segundo a tevê estatal.

PIRATAS MORREM AFOGADOS - A alegria da maioria dos piratas que participaram do sequestro do navio saudita durou pouco. Depois de deixarem o petroleiro, cinco dos piratas se afogaram com sua parte do resgate de US$ 3 milhões quando seu pequeno barco virou no mar, segundo informaram um pirata e um morador de uma cidade portuária na Somália neste sábado.

O pirata Daud Nure disse que o barco, com oito pessoas a bordo, virou durante uma tempestade depois que o grupo deixou o Sirius Star na sexta-feira. Ele disse que cinco pessoas morreram e três alcançaram a costa depois de nadarem por várias horas. Nure não fazia parte do grupo de piratas que havia sequestrado o petroleiro saudita, mas conhecia os envolvidos na operação.

Jamal Abdulle, morador da cidade costeira de Haradhere, próxima ao local em que o navio estava ancorado, também confirmou que o bote dos piratas virou e que oito partes da divisão em 12 do resgate havia se perdido. Fotos da Marinha dos EUA mostraram um paraquedas, carregando o que eles descreveram como um "aparente pagamento", caindo em direção ao petroleiro.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG