Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Piora em novembro deixa fluxo cambial negativo em US$ 7,15 bilhões

BRASÍLIA - O fluxo de câmbio contratado nas instituições financeiras fechou novembro negativo em US$ 7,159 bilhões, o pior resultado desde janeiro de 1999, quando houve uma saída líquida de US$ 8,58 bilhões. O resultado é superior aos US$ 4,639 bilhões negativos registrados em outubro.

Valor Online |

De acordo com o Banco Central (BC), o movimento foi tão ruim que os bancos tiveram de lançar mão de suas reservas (posições compradas), que foram reduzidas para US$ 2,530 bilhões no fim do mês passado, ante US$ 7,077 bilhões que mantinham em outubro.

O fluxo cambial derivou de ingressos líquidos de US$ 3,139 bilhões nas operações de comércio exterior, anuladas por remessas no montante de R$ 10,298 bilhões no segmento do câmbio financeiro.

Apesar de baixa na média diária no início do mês, o financiamento direto aos exportadores por meio de adiantamento de contrato de câmbio (ACC) fechou novembro em US$ 3,683 bilhões, mesmo patamar de outubro, quando ficou em US$ 3,695 bilhões.

Os contratos de câmbio para exportação somaram US$ 13,492 bilhões, e as importações geraram contratação da ordem de US$ 10,353 bilhões, de modo que houve sobra nesse segmento de US$ 3,139 bilhões.

Já nas operações do câmbio financeiro, apesar dos ingressos nas diversas modalidades de empréstimos terem atingido US$ 18,690 bilhões, a saídas de recursos do país em pagamento a compromissos externos, como lucros e dividendos das multinacionais, ou resgates de aplicações e pagamento de dívidas, somaram US$ 28, 988 bilhões. O saldo dessa modalidade foi negativo em US$ 10,298 bilhões.

No acumulado de janeiro a novembro, o fluxo cambial ainda está positivo em US$ 5,39 bilhões, enquanto em período igual de 2007 registrava uma sobra de US$ 82,057 bilhões, de acordo com a autoridade monetária.

Leia tudo sobre: fluxo cambial

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG