PARIS - A montadora francesa Renault prevê um corte de nove mil empregos este ano, ficando com 120 mil funcionários até o fim de 2009. O executivo-chefe do grupo, o franco-brasileiro Carlos Ghosn, disse nesta quinta-feira que metade das 9 mil demissões ocorrerá na França. O total inclui 6 mil saídas sob um plano de demissão voluntária. Outra parte dos cortes virá de aposentadorias.

A Renault informou nesta quinta que obteve lucro líquido de 571 milhões de euros (US$ 731,7 milhões) em 2008, o que representa uma queda de 78,6% ante o lucro de 2,67 bilhões de euros apresentado em 2007. Ontem, sua principal concorrente na França, a Peugeot Citroën, disse que poderá reduzir sua força de trabalho em até 12 mil pessoas este ano por meio de demissões voluntárias.

A montadora disse que sua prioridade para este ano é obter fluxo de caixa positivo perseguindo esforços para reduzir os estoques, cortar investimentos e manter a redução dos custos fixos. A empresa não fez projeções de resultados para o ano.

Pioneer

A fabricante japonesa de produtos eletrônicos Pioneer anunciou hoje que vai cortar 10 mil empregos e parar de fabricar aparelhos de televisão de tela plana. A companhia obteve prejuízo de 26,15 bilhões de ienes (US$ 290,8 milhões) no seu terceiro trimestre fiscal, terminado em 31 de dezembro de 2008, prejudicada pela contração da demanda global por seus produtos de áudio e suas televisões de plasma.

O grupo afirmou ainda que planeja uma reestruturação global para concentrar suas operações no setor de aparelhos eletrônicos para automóveis até março de 2010. Para tanto, a empresa planeja reduzir a quantidade de suas unidades de produção em todo o mundo em cerca de 30%. A caminho de seu quinto ano seguido de prejuízos, a Pioneer vai eliminar 6 mil empregos permanentes, ou 16% de sua força de trabalho global, de 36,9 mil pessoas. Outros 4 mil empregos temporários também serão cortados. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.