FRANKFURT (Reuters) - Pilotos da companhia aérea Lufthansa renovaram as ameaças de uma greve de quatro dias na próxima semana, caso não haja acordo com a empresa alemã em termos de arbitragem.

Um porta-voz da Vereinigung Cockpit, sindicato de pilotos, disse nesta terça-feira que a entidade não recuou na chamada à greve como foi pedido pela companhia aérea, que quer evitar uma paralisação que poderia lhe custar dezenas de milhões de euros.

FRANKFURT (Reuters) - Pilotos da companhia aérea Lufthansa renovaram as ameaças de uma greve de quatro dias na próxima semana, caso não haja acordo com a empresa alemã em termos de arbitragem.

Um porta-voz da Vereinigung Cockpit, sindicato de pilotos, disse nesta terça-feira que a entidade não recuou na chamada à greve como foi pedido pela companhia aérea, que quer evitar uma paralisação que poderia lhe custar dezenas de milhões de euros.

O chefe de pessoal da Lufthansa, Stefan Lauer, ameaçou levar o sindicato de pilotos ao tribunal e pedir indenização caso o plano de greve, que pode começar em 13 de abril, não seja rapidamente cancelado.

Uma breve greve de pilotos em fevereiro gerou à Lufthansa custos de 48 milhões de euros, informou a companhia aérea.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.