SÃO PAULO - O bom desempenho do Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro semestre, quando a alta de 6% foi a maior para um semestre desde os 6,6% observados nos seis primeiros meses de 2004, trouxe boas perspectivas para o resultado da economia este ano. Para atingir um crescimento de 5% no conjunto de 2008, o PIB brasileiro precisa avançar 4% no segundo semestre.

A gerente de Contas Nacionais Trimestrais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Rebeca Palis, ponderou que o bom resultado semestral não é garantia de mais aquecimento no segundo semestre. Segundo ela, apesar das boas expectativas por conta do aquecimento natural do fim de ano, não há certeza de aceleração do crescimento.

O PIB cresce em termos absolutos, mas isso não significa que as taxas de crescimento serão maiores, frisou Rebeca.

A gerente lembrou que o atual cenário de taxas de juros em trajetória de alta ajuda a trazer mais componentes de incerteza sobre a reação da economia. É melhor esperar para ver, afirmou.

Para que se obtenha um avanço de 4,8% em 2008, a economia deve expandir-se 3,6% no segundo semestre, enquanto um crescimento de 3% nos últimos seis meses do ano serão suficientes para fazer o PIB crescer 4,5%.

(Rafael Rosas | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.