Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

PIB e exportações do agronegócio devem ser recorde em MG

São Paulo, 18 - O ano de 2008 para o agronegócio mineiro deverá se encerrar com um resultado recorde tanto em relação ao Produto Interno Bruto (PIB) quanto às exportações. Os dados sobre o setor foram apresentados hoje pela secretaria de Estado da Agricultura e indicaram um incremento de 14,8% no PIB, em relação ao ano passado, para um montante de R$ 89,6 bilhões.

Agência Estado |

Os resultados também indicaram um salto nas exportações, com um incremento de 17% no período de janeiro a novembro deste ano, em relação ao mesmo período do ano passado, com uma receita de US$ 5,3 bilhões.

Embora o volume exportado tenha sido 2% menor neste intervalo, na comparação com 2007, o valor foi o maior já registrado pelo Estado. O setor, segundo as informações, já participa com 23,2% de todas as exportações mineiras. O principal responsável por esse resultado foi o café, produto mais exportado pelo Estado e o segundo na pauta de exportações brasileiras. De janeiro a novembro, as vendas do produto geraram a maior receita nas exportações, de US$ 2,7 bilhões, 17% a mais que o registrado no mesmo período do ano passado. Em 2008, a produção mineira foi de 23 milhões de sacas, um aumento de 42% em relação a 2007.

Assim como a agricultura, a pecuária apresentou resultados expressivos, sendo que Minas passou a ter o segundo maior rebanho do País, com 22,5 milhões de cabeças, superando o Mato Grosso do Sul, além de ser o Estado brasileiro com maior número de fazendas aptas a fornecer carne bovina para a União Européia. Até agora, o Brasil tem 676 fazendas aprovadas, das quais 313 são mineiras.

No segmento sucroalcooleiro, de acordo com a secretaria de Agricultura, o Estado galgou uma posição e passou a ser o segundo maior produtor nacional, superando o Paraná e atrás apenas de São Paulo. A produção de cana-de-açúcar este ano deverá atingir 44,1 milhões de toneladas, com crescimento de 21% em relação ao ano passado. A produção de álcool foi de 1,9 bilhão de litros e a de açúcar, de 2,6 milhões de toneladas.

2009

A expectativa do secretário de Estado da Agricultura, Gilman Viana Rodrigues, é de que o agronegócio mineiro apresente alguma retração no primeiro semestre de 2009, em função da crise financeira internacional. Embora admita que o Estado terá dificuldades em atingir novos recordes no próximo ano, Gilman acredita que algumas medidas já anunciadas pelo governo estadual poderão amenizar os efeitos da crise.

Hoje, foram assinados alguns protocolos de intenção entre o governo do Estado e a iniciativa privada, para a realização de investimentos. Entre estes estão parcerias com a Danone, no valor de R$ 79 milhões, com o grupo Unitas, para instalação de uma usina de etanol, no valor de R$ 176 milhões e com o frigorífico Mataboi, no valor de R$ 85 milhões, para a instalação de uma nova unidade.

No segmento dos grãos, o secretário lembrou que o Estado deverá apresentar uma pequena redução na produção de milho, que em 2008, segundo levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), atingiu o recorde de 6,6 milhões de toneladas, sendo que a safra total de grãos foi de 10,2 milhões de toneladas. Para o próximo ano, as perspectivas são de que a produção total volte à casa dos 10 milhões.

Para Rodrigues, o grande desafio será garantir a renda do produtor e para isso ele defendeu a adoção da Política de Garantia de Preços Mínimos (PGPM), levando em consideração que o valor a ser pago ao produtor deve estar acima do custo de produção. O secretário também defende a adoção de uma política federal de subsídios à compra de fertilizantes, seguindo o modelo já adotado na China e na Índia.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG