Tamanho do texto

Economia recuou 2,2% no acumulado de 2009 e registrou o maior recuo do período pós-Guerra

A recuperação da economia francesa desde o segundo trimestre de 2009 não conseguiu evitar que o Produto Interno Bruto (PIB) sofresse uma queda de 2,2% no conjunto do ano, a maior desde a Segunda Guerra Mundial.

O Instituto Nacional de Estatística (INSEE, na sigla em francês) confirmou nesta terça que o PIB francês entre outubro e dezembro subiu 0,6% em relação ao trimestre precedente, graças ao consumo privado (+1%) e ao das administrações públicas (+0,7%).

Estes elementos permitiram compensar o impacto negativo de oito décimos do comércio exterior e a diminuição de 1,3% da formação bruta de capital fixo, destacou o INSEE em comunicado.

A França, que tinha entrado em recessão desde o segundo trimestre de 2008, seguiu com resultados negativos até os três primeiros meses de 2009, quando perdeu 1,3%.

Nos três trimestres seguintes, no entanto, teve comportamentos positivos do PIB, com 0,3%, 0,2% e 0,6% de crescimento, respectivamente.

Segundo a última previsão do Banco da França, a economia do país vai ganhar 0,4% no primeiro trimestre de 2010, um ano no qual o Governo quer conseguir uma ascensão de 1,4%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.