O PIB da zona do euro registrou no segundo trimestre um retrocesso de 0,2% em relação ao trimestre anterior, em sua primeira contração desde a criação desse espaço monetário, informou nesta quinta-feira o departamento europeu de estatísticas Eurostat.

A baixa era esperada pelos analistas depois de um inesperado crescimento de 0,7% no primeiro trimestre.

A expectativa média dos analistas da agência Dow Jones era, inclusive, de uma contração maior, de 0,3%.

Mas se trata de qualquer maneira do pior resultado da zona euro desde sua criação em 1999. Até agora, o pior resultado datava do primeiro trimestre de 2003, quando o Produto Interno Bruto (PIB) teve um crescimento nulo.

O índice divulgado pode alimentar os temores de uma recessão, que tecnicamente acontece quando o PIB se contrai durante dois trimestres sucessivos.

A economia européia foi estimada no primeiro trimestre por uma atividade mais sustentável do que o normal no setor da construção, que se beneficiou de um inverno relativamente modrado.

Mas o consumo nos lares também parece desacelerar, num contexto de fortes aumentos dos preços da energia e da alimentação.

A inflação da eurozona foi revisada em baixa em julho, a 4% interanual, contra uma primeira estimativa de 4,1%.

Leia mais sobre eurozona

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.