São Paulo, 17 - A agroindústria da agropecuária apresentou crescimento de 0,46% em abril e acumula expansão de 1,85% nos primeiros quatro meses do ano. Os dados fazem parte do estudo sobre a evolução do Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio brasileiro, elaborado pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada da Universidade de São Paulo (Cepea), da Esalq/USP, com o apoio da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) Segundo o levantamento, a indústria da agricultura (lavouras) em abril cresceu no mesmo ritmo observado em março (0,44%), acumulando neste ano uma taxa de 1,77%.

Os técnicos do Cepea destacam o desempenho negativo da agroindústria do açúcar, cujo faturamento recuou 2,41% no mês e 11,73% no acumulado do ano. "Esse desempenho decorre da forte queda nos preços do açúcar (-31,68% entre abril/07 a abril/08), paralelamente à fraca expansão em seu volume.", dizem os técnicos.

O estudo mostra que a indústria de óleos vegetais segue liderando o segmento agroindustrial com taxa de 3,75% no faturamento de abril e de 12,94% no acumulando do quadrimestre. "Na seqüência, tem-se a agroindústria de elementos químicos (1,39%), café (0,93%) e outros alimentos (0,90%). Para as demais indústrias agrícolas, observaram-se taxas negativas, geradas predominantemente pelas quedas de preços quando comparados aos do primeiro quadrimestre de 2007."

Pecuária

A agroindústria da pecuária (carnes e laticínios) cresceu 0,57% em abril, frente ao 0,33% no mês anterior. No quadrimestre, o crescimento ficou em 2,31%. "De forma contrária ao observado em outros segmentos, o desempenho do mês de abril mostrou-se inferior ao constatado no mesmo período de 2007, quando o crescimento da agroindústria pecuária foi de 0,68%."

Conforme o estudo, enquanto as indústrias de abate e laticínios apresentaram taxas positivas de 0,49% e 1,37% em abril, respectivamente, a indústria de calçados manteve taxa negativa de 0,70%. Para essas três indústrias, o desempenho dos preços (positivo no caso das indústrias de abate e laticínios e negativo para os calçados) foi determinante para o resultado observado.

Insumos

Outro destaque do estudo é o segmento de insumos agropecuários, que cresceu a uma taxa de 1,94% em abril, nível estável em relação a março (1,95%), mas superior ao 0,92% observado no mesmo período de 2007. "No acumulado entre janeiro e abril, o setor cresceu 7,70%, contra apenas 1,93% no mesmo período de 2007." Segundo o estudo, os insumos para agricultura seguem a taxas elevadas: 2,29% no mês corrente e 8,92% no acumulado do ano. Os insumos da pecuária também seguem em forte expansão, atingindo no mês taxa de 1,38% e, no acumulado do ano, de 5,78%.

Os técnicos explicam que a alta de preços dos fertilizantes e das rações continuam sendo os principais fatores para expansão dos insumos. "No caso dos fertilizantes, enquanto seu volume se expandiu 2,77% quando comparado a 2007, os preços reais ultrapassaram 53% de crescimento. Para as rações, a expansão em volume foi de 8,34%, já os preços mais que duplicaram, chegando a uma taxa real 17,2% em abril. Os combustíveis, embora com pequena expansão em volume (2,19%), apresentaram redução de 1,20%."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.