Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

PF prende 20 suspeitos de fraude na Previdência

A Delegacia de Policia Federal de em Varginha, Sul de Minas Gerais, prendeu, nesta quarta-feira, vinte suspeitos de fraudes no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Entre os presos temporariamente durante a ação estão servidores públicos, médicos peritos, advogados, agenciadores e beneficiários das fraudes, feitas em laudos para aposentadoria e invalidez.

Redação com Agência Estado |

"O segurado, tendo ciência de que não teria direito ao benefício pelos caminhos legais, procurava os agenciadores. Estes, previamente ajustados com os servidores públicos, direcionavam as perícias para os médicos integrantes do esquema, os quais sugeriam deferimento de determinado benefício. Esse grupo tem envolvimento com fraude previdenciária, notadamente auxílio-doença e aposentadoria por invalidez", disse o delegado da PF em Varginha, João Carlos Girotto.

De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), o modo de atuação é similar ao de outras fraudes já desvendadas pelos procuradores, pela PF e pelo setor de inteligência do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) em outros municípios mineiros.

Batizada de Operação Quimera, a ação tem como objetivo desmontar a quadrilha. Segundo informações da assessoria de imprensa da PF, 17 suspeitos estão presos na cidade de Três Corações e os outros três foram deslocados para um presídio em Belo Horizonte. Também estão sendo cumpridas ordens de seqüestro de veículos usados pelo grupo criminoso que atua há cerca de cinco anos.

Dos 20 suspeitos, três atuavam em São Paulo e o restante em Minas Gerais. A PF está investigando a atuação da quadrilha nas cidades de Alfenas, Monte Belo, Conceição da Aparecida, Serrania entre ouras, e, no Estado de São Paulo, nas cidades de Limeira, Jundiaí, Matarazzo.

A polícia, que investiga a quadrilha desde novembro de 2007, já identificou um prejuízo de R$ 6 milhões, mas estima que o rombo possa chegar ao montante de R$ 30 milhões. Cento e oitenta policiais participam da ação.

O nome da operação foi inspirado na mitologia grega. "Quimera" era um fabuloso monstro com cabeça de leão, torso de cabra e cauda de dragão e que soltava fogo pela boca. No dicionário brasileiro, a palavra quimera significa produto da imaginação, fantasia, utopia.

Leia mais sobre Previdência

Leia tudo sobre: previdência

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG