Em uma operação conjunta, a Receita Federal, a Polícia Federal e a Procuradoria da República do Espírito Santo deflagraram ontem a Operação Poseidon, desbaratando uma suposta organização especializada em fraudes na importação de carros e motocicletas de luxo. O principal alvo foi uma loja em Barueri (SP), que, nos anúncios em seu site, prometia aos clientes a compra de carros importados com preços sempre altamente competitivos.

A revendedora está sendo acusada de subfaturamento de preços, do uso de ‘empresas de fachada’ no Brasil e nos Estados Unidos, e de sonegação de impostos. Segundo a Receita Federal, do início de 2006 a março de 2009 foram importados 100 motocicletas e 212 automóveis de luxo.

O esquema de fraude na importação de veículos de luxo pelo porto de Vitória foi desmontado 18 meses depois da Operação Titanic, na qual foram presas 23 pessoas, acusados também da importação de carros de luxo subfaturados. Na operação, os carros vinham para uma empresa capixaba que tinha sede em Porto Velho (RO), para se beneficiar de isenção fiscal.

A operação Poseidon começou a ser investigada naquela época, mas foi deixada de lado por conta da amplitude do caso, que deu origem à Operação Titanic, na qual foram apreendidos 17 carros de alto luxo e 36 motos que aguardavam liberação pela alfândega. Segundo fontes próximas às investigações, há pelo menos um empresário que participou dos dois casos (Titanic e Poseidon). As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.