SÃO PAULO - A Polícia Federal (PF) cumpre hoje dez mandados de prisão e 16 de busca e apreensão por meio da Operação Castelo de Areia, voltada ao combate de crimes financeiros, como lavagem de dinheiro.

De acordo com a assessoria de imprensa da PF, o nome da operação foi escolhido porque há suspeitas de que a quadrilha investigada tem ligações com uma grande construtora nacional.

Ainda segundo a PF, a quadrilha movimentava dinheiro sem origem lícita por meio de empresas de fachada e operações conhecidas como dólar-cabo - como são chamadas as remessas internacionais ilegais por meio de compensação, promovidas por redes de doleiros.

Os agentes da PF devem prender funcionários da construtora, o articulador do esquema e dos doleiros identificados durante a operação.

Os crimes investigados são evasão de divisas, operação de instituição financeira sem autorização, formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e fraude em licitações.

Diversos clientes dos doleiros investigados também foram identificados e podem responder por crime de evasão que chega a 6 anos de prisão.

(Agência Brasil)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.