Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Petrolífera Lukoil sugere que a Rússia ingresse na Opep

Moscou, 29 out (EFE).- O vice-presidente da companhia petrolífera Lukoil, Leonid Fedun, defendeu hoje a entrada da Rússia na Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e sugeriu que Moscou se some aos cortes de extração para elevar o preço do barril.

EFE |

"O futuro do setor petroleiro e a estabilidade dos preços do petróleo passam por uma integração mais estreita entre a Rússia e a Opep, ou inclusive pela entrada nesta organização", declarou Fedun durante uma conferência em Moscou, segundo a agência "Interfax".

O empresário lembrou que as regiões que ajudaram a superar a "crise artificial" de meados da década de 1970, como o Golfo do México, o Mar do Norte e a própria Rússia, hoje estão em uma fase de queda da extração, enquanto a parte que corresponde à Opep na extração global aumenta.

Fedun ressaltou que a Rússia ultimamente intensificou sua cooperação com o cartel, a cuja próxima reunião assistirão dirigentes de importantes petrolíferas russas, incluído o chefe da Lukoil, Vaguit Alekpérov.

O presidente da Rússia, Dmitri Medvedev, afirmou há uma semana que seu país está interessado em "preços estáveis e previsíveis" do petróleo, em reunião em Moscou com o secretário-geral da Opep, o líbio Abdalla Salem El-Badri.

Dias antes o presidente rotativo da Opep e ministro da Energia da Argélia, Chakib Khelil, tinha pedido aos países produtores não-membros da Opep, como a Rússia e Noruega, a apoiar a medida.

Fedun previu hoje que a produção de petróleo na Rússia se reduzirá em 2009 entre 1% e 1,5%, apesar de afirmar que a Lukoil no ano que vem conseguirá aumentar sua própria produção de petróleo em 1% a 1,5% e a de gás em um 3% a 4%. EFE se/jp

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG